Começo dizendo que já fui para o Tahiti e que a cor da água do mar de San Andres não perde em NADA para a Polinésia Francesa! Claro que a vegetação e o landscape são distintos, as vibes são BEM diferentes mas no quesito mar…realmente tanto faz. Um mais lindo e cristalino que o outro. Esses dois destinos são sensacionais e imperdíveis! Mas por enquanto, vamos focar em San Andres 🙂

Antes de qualquer coisa: a moeda deles é o Peso Colombiano (COP) e para entrar em San Andres, é necessário adquirir uma “tarjeta de turismo” que custa em torno de COP 109.000,00 (aproximadamente R$ 140,00). Pode ser comprada nos aeroportos de conexão, no balcão da cia aérea com a qual você estará viajando ou na chegada. Você irá receber a tarjeta com duas vias, uma delas você entrega na chegada e a outra na saída da ilha. Guarde com seu passaporte e cuide para não perde-la!

Assim como a maioria das ilhas paradisíacas, San Andres é maravilhosa e o centrinho é bem estruturado para receber os turistas mas se você sair um pouquinho dessa bolha, vai ver lugares muito simples, sujinhos e dar de cara com a vida real da população local, que não é muito agradável, infelizmente.

San Andres é um lugar tranquilo e seguro mas mesmo assim é bom estar sempre esperto. Tem sol praticamente o ano todo e o calor faz com que as pessoas achem normal tomar banho frio hahahaha sim, muitos lugares não tem chuveiro com água quente, portanto, prepare-se. Nessa ilha também venta bastante o que faz dela um paraíso ainda mais atraente para os praticantes de kitesurf.

COMO CHEGAR:

A maneira mais fácil e rápida de chegar em San Andrés, claro, é de avião. Essa rota é operada por algumas cias como Latam, Avianca, Copa, dentre outras. Todas elas tem vôos disponíveis no Skyscanner. Para cotações personalizadas, é só me mandar email no camila@imagineviagens.com.br.

ONDE FICAR:

Na minha opinião, o ideal é ficar bem no centrinho, na praia de Spratt Bright. Isso porque além de você estar muito perto da praia, você também estará perto dos restaurantes, lojas, barzinhos e poderá fazer tudo à pé. Porém, essa região é a mais cara. Ah, e as construções de San Andres não são lá muito novas então não espere algo super renovado, ok?  Outra coisa beeeem importante: o centro de San Andres é barulhento. Portanto, se você quer paz e sossego, essa localização não é prá você.

Nessa região central recomendo ficar no Hotel Casablanca, Decameron Los Delfines, Decameron Isleño, GHL Sunrise ou ainda no Sea Colors que é central mas mais baratinho que os outros. Já em regiões mais afastadas e sossegadas, recomendo o Hotel Cocoplum, Hosteria Mar y Sol, Casa Harb Boutique Hotel dentre outros.

O QUE FAZER:

A melhor praia pra passar o dia, na minha opinião, é a Cocoplum. O mar é maravilhoso e tem muitos “beach clubs” com preços bons. Comemos um prato delicioso no restaurante do hotel Cocoplum Beach que é pé na areia e muito charmoso. Pedimos um peixe al limone com arroz de coco acompanhado de uma Postobon Manzana (refrigerante de maça produzido na ilha). Nessa mesma praia, quase em  frente ao hotel tem uma ilhota que abriga um barco encalhado onde dá pra ir caminhando com a água pela cintura. Esse lugarzinho é chamado de Rocky Cay. É cheio de peixes e corais maravilhosos e quanto mais perto do barco, mais lindo fica. Vale mais a pena que o famoso passeio de barco para o Grande Acuario.

Os passeios de barco são inúmeros, de todos os tipos e preços. Normalmente os hotéis tem algum convênio com alguma empresa e pode sair mais barato. Eu fui contra o sistema, a diferentona…hahahhahahah desde o primeiro dia víamos um cara muito tranquilo e “exótico” que ficava num barquinho na beira da praia principal. Ele já era mais velho, tinha cabelo comprido, grisalho, pele tostadinha do sol ..fomos falar com ele para ver se ele não faria um passeio privativo para a nossa família. Ele, o “Lobo do Mar” (veja nas fotos), topou e tivemos um dia incrível! Ele era uma pessoa muito querida, engraçada, inteligente, nos contou várias histórias, nos levou em lugares com pouquíssimos turistas e fechamos com chave de ouro almoçando num lugar super simples mas de comida saborosíssima chamado Bibis Place.

PASSEIOS:

Volta à ilha: passeio bom para fazer no primeiro dia, para ter uma visão geral de todos lugares e voltar àquele(s) que mais gostou, se tiver tempo. Pode ser feito de chiva (um ônibus colorido), de táxi ou você pode alugar um carrinho de golf (a partir de COP 120 mil – R$ 150,00, diária do mais simples).

Playa Peatonal  ou Spratt Bright  -  é a praia principal, no norte da ilha, onde fica o centrinho. É super agradável, não só pela praia em si, mas também pelo calçadão chamado de Peatonal, onde você pode fazer uma caminhada, sentar num restaurante para comer com uma vista super panorâmica, fazer compras (dutty free, minha gente!!) ou simplesmente ficar sentado num dos banquinhos estrategicamente posicionados em frente ao mar para ficar observando todos os aqueles tons absurdos de azul.

Westview: é um lugar onde tem um trampolim e um escorregador que cai direto no mar. Tem uma estrutura de restaurante e banheiros. Ótimo lugar para fazer snorkeling.

La Piscinita: é praticamente o mesmo esquema de Westview, só que com menos estrutura. Portanto, se já foi em um, dispense o outro. A não ser que tenha gostado muito ou tenha tempo sobrando.

Acuario e Jonnhy Cay:  a ilhota de Jonnhy Cay fica bem em frente à Playa Peatonal e até faz parte da “decoração” do local. É um passeio combinado com o Acuario, que é uma praia rodeada de corais e, com isso, lotada de peixes também.  O passeio sai pela manhã e tem a opção de retorno às 13:30 ou às 15:30. Evite sentar nas laterais do barco caso não queria chegar completamente ensopado, principalmente na volta. Nós optamos por não ir até lá porque tinha muuuuuita gente por isso seguimos para lugares mais tranquilos.

Mantarrayas. o local é próximo ao Acuario. Os passeios regulares saem às 16h e retornam por volta das 18hs. Nesse passeio você vai ver arraias gigantes, poderá tocar nelas (por sua conta e risco) ou poderá vê-las nadando tranquilamente.

Playa de San Luis – localizada na parte leste da ilha, essa praia tem areia branquinha e tradicionais casas de madeira.

Cayo Bolívar: distante de San Andres, cerca de uma hora em lancha rápida. Sai às 8hs e retorna no fim do dia. Cayo Bolívar é um dos passeios mais espetaculares de San Andrés, no entanto, este lugar tem visitas controladas e, além disso, em alguns meses venta muito e os passeios podem não sair por conta do mar agitado. Portanto, a dica é reservá-lo assim que chegar em San Andres e, se possível, fazê-lo logo nos primeiros dias. Custa em torno de COP 180 mil – R$ 220,00.

Hoyo Soplador: localizado no extremo sul da ilha é um fenômeno natural causado por uma série de túneis subterrâneos nos recifes de corais que começam e terminam em um único buraco a vários metros da água. Assim, não achei nada demais..além disso os nativos que te abordam se oferecendo pra mostrar o lugar, tirar fotos, te oferecem um Coco Loco (bebida tradicional) de “cortesia” e no final te dão o preço do “serviço”. FURADA! Não perca seu precioso tempo prá ir nesse lugar.

lha de Providencia: também distante de San Andres. É possível ir no catamarã El Sensation e as passagens custam em torno de COP 130 mil – R$160,00 o trecho ou COP 240 mil – R$ 293,00 ida e volta. Já as de avião, operado pela cia aérea local Satena,  fica em torno de COP 100 – 200 mil o trecho. Não se esqueça de levar a tarjeta de turismo que foi paga quando você desembarcou em San Andrés, ela será pedida no aeroporto de Providencia. Se tiver perdido ou esquecido, precisará pagar novamente

Volta à ilha de barco: se você tiver pouco tempo, não pense duas vezes, escolha esse passeio. O barco passa praticamente pelos mesmos lugares que você percorreria numa volta à ilha por terra, mas com a grande vantagem de parar em vários pontos para fazer snorkeling. Custa em torno de COP 160 mil – R$ 196,00 pelo barco pra 4 pessoas.

Mergulho: vá à operadora de mergulho BANDA DIVE (fica na entrada do Hotel Lord Pierre, no centro) e procure o MIZAEL. Um cara bem profissional e super simpático. Peça pra ele te levar na BLUE WALL ( um paredão radical azul – 30 metros ) e na PIRÂMIDE ( lugar bem legal mesmo vai a 15 metros ). Cada saída, com 2 imersões custa, por pessoa, o valor de COP 150 mil – R$ 185.00.
https://www.bandadiveshop.com/pt

ONDE COMER:

Mahi Mahi: fica no hotel Casablanca, em Spratt Bright. Comida asiática de alta qualidade, preços justos, vista linda. Super recomendo.

La Regatta: imperdível! Na minha opinião, é a melhor comida de San Andres. A vista é linda e o atendimento muito bom. É um pouco mais caro que os outros restaurantes mas vale cada garfada.

Gourmet Shop Assho: esse lugar é uma jóia escondida. É um restaurante meio empório, onde vendem alguns produtos finos, temperos, bebidas, etc. A decoração é bem rústica feita com garrafas de vinho vazias e a comida deliciosa. Pedimos um polvo com pesto que estava sensacional.

Donde Francesca: restaurante pé na areia, super cara de “férias”, comida deliciosa e muito bem servida, vista incrível. Fica em San Luis, recomendo ir para passar o dia.

Cevicheria Sea Station: ceviches maravilhosos e de vários sabores, preço justo. Fica bem no centrinho, próximo à Cafeteria Juan Valdez (melhor café do mundo!) e ao fast food El Corral (bom, bonito e barato).

Sea Watch Café: fica ao lado do Mahi Mahi, serve lanches gostosos e com preços justos. De frente para o mar.

Café Café Pizza: atendimento rápido, pessoal muito atencioso e comidas ok! Recomendo o Penne Alfredo ou com camarões. Endereço: Avenida Colombia, Edifício Hansa Coral L-1, San Andrés.

Playoffs Sports Bar: é um bar com dois ambientes,  um relacionado a jogos, e o outro aos anos 80. Ambiente muito agradável, com mesas no interior e na calçada. A pizza de camarão com champignon é deliciosa. Fica ao lado do Hotel Sunrise

Presto: fica na Peatonal, em frente à praia. É uma lanchonete que vende combos de sanduíches com batata frita e refrigerante, tipo Mac Donalds. Não recomendo mas prá quem gosta de fast food, tá valendo.

Margherita e Carbonara: restaurante italiano que serve vários tipos de massas, comida gostosa e bom atendimento. Av Colombia N. 1-93.

Kikiriki:  tipo um McDonalds mas de frango. São várias opções de combo ou porções individuais muito bem servidas. Preço super em conta. Fica na Av. 20 De Julio esquina com Duarte Blum.

Coco Loco: BA-LA-DA. A estrutura do lugar e a decoração são bem legais. Tem uma área no fundo com um deck em frente ao mar e toca todos os tipos de música, desde músicas românticas até reaggeton. Av Colombia N. 1A-104

MINHA DICA:

A coisa mais legal de se fazer em San Andreas é o snorkeling. Primeira coisa que você deve fazer ao desembarcar na ilha é comprar um óculos de mergulho e uma sapatilha especial para andar nos corais (baratex). Eu já fiz snorkeling  em alguns lugares mas San Andres é realmente especial. Primeiro por que a ilha é rodeada por uma barreira de corais o que faz com que os peixes grandes e tubarões não cheguem na ilha então você pode mergulhar tranquilamente. Segundo: o nível de salinidade da água é alto e por isso a gente não afunda tanto. Dá pra ficar boiando por horas sem nem mexer os pezinhos. E  terceiro por que TODA A ILHA tem pontos de mergulho.

Tem dois pontos de mergulho turísticos que são La Piscinita e o West Wiew, os dois são legais MAS sempre tem muita gente. Ao redor da ilha tem lugares melhores e menores, é só perguntar para algum nativo. Em West Wiew vão oferecer um passeio chamado Aquanautas, que parece muito legal, mas na verdade não é. Fuja!

Caso prefiram atendimento personalizado com consultoria/cotações, seja para passagens, acomodação, seguro ou pacote completo, é só me mandar um email no camila@imagineviagens.com.br. E para acompanhar mais viagens basta seguir o instagram @viagensdacami também! 🙂

 

 

 

 

%d bloggers like this: